Segunda-Feira, 26 de Setembro

24/01/2015 - Copyleft

Cristina somos todos

Cristina somos todos porque todos os nossos países são vítimas de manipulações torpes como essa de que hoje é alvo Cristina Kirchner e a democracia argentina.

por Emir Sader em 24/01/2015 às 05:29



Emir Sader


 “Excelentíssimos cadáveres”, o notável filme do recém falecido diretor italiano Francesco Rosi, passado na Sicília, já apontava para a manipulação de cadáveres em circunstâncias políticas. Se investigamos a história política da América Latina, nos deparamos muitas vezes com essa mistura macabra de mortos e política.

 A própria vitória eleitoral de Salvador Allende, em 1970, no Chile, foi colocada em risco pela aparição, morto, do Comandante em Chefe das FFAA, numa tentativa desesperada dos golpistas de impedir a posse do presidente socialista. Mais recentemente, quando se encaminhava a vitória da Dilma no primeiro turno das eleições, um até hoje não esclarecido acidente de avião provocou a morte de um candidato e a colocação de outra na disputa, redistribuindo as cartas do baralho e quase levando à vitória da direita.          

A Argentina é o novo cenário desses “excelentíssimos cadáveres”. Tudo muito suspeito, como convem à manipulação política de circunstâncias como essas. Se tudo fosse claro, não se prestaria às manipulações dos que querem pescar em águas turvas.

Todas as manipulações apontam para a Cristina, por tudo o que ela representa. Os que levaram a Argentina à pior crise da sua historia, não se resignam a que o país foi resgatado por governos populares, que não se contentaram em retomar o crescimento econômico, mas que o fizeram redistribuindo renda, retomando a trajetória dos governos populares argentinos.

Não perdoam a Cristina ter protagonizado esse resgate, ter sobrevivido às mobilizações golpistas dos produtores de soja de 2007, à própria morte do seu companheiro, Nestor Kirchner, à ofensiva covarde dos fundos abutre. Não se perdoa que uma mulher tenha enfrentado, com altivez, as agressões torpes da mídia, machistas, grosseiras, como corresponde a uma direita complacente com os crimes do terrorismo de Estado. Não perdoam a Cristina e a Nestor ter reaberto os processos contra os responsáveis pelos crimes de Estado. Não lhes perdoam o reencontro de mais de 100 netos, filhos de militantes opositores à ditadura, que além de assassinados, tiveram seus filhos sequestrados, no pior crime humanitário que conhecemos.

 Cristina somos todos, porque resistimos juntos às ditaduras militares, solidários na luta, nos sofrimentos, nas perdas, na sobrevivência e na recuperação da democracia. Cristina somos todos porque todos os nossos países são vítimas de manipulações torpes como essa, que hoje são contra a Cristina, contra a democracia argentina, contra as conquistas sociais do seu povo, da sua soberania internacional.        

    A uma direita que nem sequer consegue ter lideres que os una contra o governo popular de Cristina, lhe doi a liderença da Presidenta da Argentina, sua dignidade, seu vinculo direto com o povo e com a historia de lutas dos argentinos.
   
    Cristina somos todos, porque todos os que lutamos por países justos, solidários, soberanos, dignos, estamos com Cristina e com os argentinos, também nesta hora. Somos todos.

Tags: Internacional





Manoel Giffoni - 31/01/2015
Essa história ganha mais personagens estranhos e dados conflitantes a cada dia que passa. E, obviamente, os meios (oficiais e opositores) daqui vão selecionando e rearranjando os fatos para armar um relato que lhes convenha. Escrevi no meu blog um texto sobre a última bomba (festim?) da semana. Dá uma olhada lá http://wp.me/p4I0tz-f0


Alvaro Freitas - 31/01/2015
E ai uns idiotas que não conhecem a História desse País vem pregar a volta da ditadura, com todos os Brasileiros que lutaram e os que morreram pela Democracia para que hoje nós podermos falar o que quisermos ate mandar nosso presidente tomar no .. Como os torcedores fizeram. Estamos engatinhando ainda, precisamos melhorar e muito mas retroceder jamais.


Amauri Spadari - 30/01/2015
PIOR que um governo de direita é um governo que segue a risca a cartinha da direita, travestido de esquerda.


Mardones da Silva - 29/01/2015
Bravo!



Somos todos CFK!


arquimedes andrade - 28/01/2015
Sou Che, Cristina e Papa Chico. O fato é que a direita está raivosa com os governos democráticos e progressistas. Porque perderam as gordas tetas do Estado. Agora, os mais pobres conquistaram uma fatia maior do bolo. E o desafio é aumentar mais e mais a participação na política e a partilha da riqueza. Socializar esse bolo para os 90% mais pobres.


juan tintoychori - 28/01/2015
Hoy estàn velando al fiscal con la presencia de sus familiares y la asistencia del embajador de EE.UU. Esto les dice algo?


Orlando F. Filho - 27/01/2015
O alexandre parece não ter lido o depoimento de Romina Vilaboa. Mas os capitalistas sempre acham que a esquerda é burra. Não é que nós somos burros, alexandre, mas é muito mais difícil governar sem explorar os oprimidos, como vcs capitalistas fazem. É simples assim. Para vcs capitalistas, se for preciso jogar milhões no desemprego para "acertar" a economia, vcs farão sem a menor culpa. Estude a história do capitalismo americano e vc vai descobrir que a criação do Welfare State aconteceu por pressão dos socialistas, isto é, da esquerda alexandre. Leia um pouquinho mais e pare de ter dozinha dos nossos hermanos, pois eles são adultos suficientes para lutar por suas demandas. Que papo furado esse de dózinha. Faça-me o favor.


Orlando F. Filho para alexandre nascimento - 27/01/2015
Quem parece não entender nada é vc pois o assunto que está sendo discutido aqui é outro, caro amigo. Se o governo é tão ruim como vc diz, porque ela ganhou as eleições e me parece que os argentinos são muito mais politizados do que nós. Será que não tem o dedo dos capitalistas manipuladores nesta inflação tão alta? Vc, alexandre, me parece ser um sabujo do capitalismo pois ataca o governo argentino com uma sede que dá até prá desconfiar.


victor martin pieditorti filippini - 26/01/2015
emir una nota brillante que comparti citando autor y fuente en facebook gracias por expresar tam bien la realidad de la patria grande obrigado!!!!


Tradutor - 26/01/2015
Mestre Emir: enquanto argentino, agradeço essas suas palavras pelo fato de elas não apenas traçarem um panorama histórico das tentativas de derrubada dos governos populares "jogando cadáveres", como também pelo apoio explícito perante a sensação do irreversível, de que o Poder Real, isto é, a mídia, os grandes empresários e os organismos da usura internacional, ao decretarem que um processo deve concluir, recorrem -sempre com sucesso- ás condutas mais sinistras. Tomara a democracia brasileira compreenda que o Efeito Orloff pode ser real: "eu sou vocë amanhã".


Helenita Saud - 26/01/2015
De fato, o sequestro de opositores dos governos da ditadura sangrenta, com o desaparecimento de centenas de crianças, é pura ignomínia; mas, o mais incrível, cruel e insidioso crime conhecido, ao meu ver foi a Operação Peter Pan, em que EEUU/CIA/PENTÁGONO/IGREJAS raptaram 15.000 crianças cubanas, as quais nunca voltaram a ver sua Pátria e seus pais!!! Incontáveis foram escravizados, explorados, abusados, mortos... Sem que nenhuma satisfação fosse dada a quem quer que seja!


Marcia Eloy - 26/01/2015
A diferença é que na Argentina as mães da praça de Maio tomaram a iniciativa de uma resistência pacífica e apesar de todo horror da Ditadura argentina elas sobrevivera, Aqui, Zuzu Angel foi morta ao tentar fazer a mesma coisa e eu não vi nenhuma passeata a favor dela, nem naquela época, nem nos dias de hoje. As vezes acho que somos todos covardes,


Romina Vilaboa - 26/01/2015
Boa tarde, sou argentina e gostei muito desta analise. Aqui na Argentina estamos num momento ruim porque temos poderosos que estao tentando destruir tudo o que se posso lograr nestos 12 anos de Kirchnerismo. Espero que se entenda meu portugues.

Obrigada!


José Safrany Filho - 25/01/2015
Também sou Cristina Kirschner! Abaixo o imperialismo ianque e seus sequases locais e de fora!


Roberto Luiz Souza de Melo - 25/01/2015




E Nestor foi um grande Presidente, mas Christina colocou a argentina em resseção! Diferente do Evo Morales que fez a Bolívia crescer 6% ano passado!



Cristina TALVEZ seja inocente, mas boa presidente não é!


fernando del orrio - 25/01/2015
Meu amigo, CK é peronista! vc não pode alinhar a esquerda ao populismo de direita e ultra disfarçado dos seguidores de J.D. Perón. Sua atitude é desmoralizante.


Alexandre Nascimento - 25/01/2015
Que lamentável...a Argentina numa pindaíba sem fim, cada no pior e vocês comemorando isso. Inflação de 30% ao ano, pobreza disparando, governo sem crédito e credibilidade com nenhum organismo internacional. Eu já estive na Argentina mais de 50 vezes a trabalho e tenho pena dos meus amigos de lá. A vida está cada dia mais difícil, o ambiente de negócios vai de mal a pior.


Cristina Reis - 25/01/2015
Emir, faço as suas palavras como fossem minhas. Enquanto, a América do Sul não voltar a ser o quintal dos Estados Unidos e da Europa, os senhores da guerra não ficarão satisfeitos. A minha xará, a Presidenta Cristina, a partir da moratória, não por sua culpa, mas de outros governantes que acreditando que a Argentina ser uma filial da Europa, colocou em xeque a sua economia. A Teoria Conspiratória se dá em um País frágil sem a expectativa de sanar a curto prazo uma economia cambaleante. O que estão fazendo com a Argentina, foi a mesma tentativa de criar o caos na economia Brasil. A direita reacionária e golpista não perdoa a inábil, e na primeira oportunidade começam a chutar o cachorro morto. Eu também sou Cristina, pois, entendo, que se os nossos hermanos, não estiverem bem, nenhum país latino estará livre dos usurpadores do Poder.


José Francisco - 24/01/2015
Está na moda mas é bom reprisar: Eu sou Cristina; eu sou Emir; somos todos. Esse plural nos agrada a todos. Viva o povo latino-americano!


victor martin pieditorti filippini - 16/04/2015
una gran nota,la derecha argentina e internacional es tan ovbia tonta previsible en sus ataques como en los medios algo que tambien pasa en Brasil de forma parecida los que manejaron el pais por a;os mirando y buscando complacer a los estados unidos quieren regresar a esa epoca de robo y sumision,como pretenden hacer veja y globo en brasil,lo pretenden la nacion,el grupo clarin que estan del lado de la mas rancia derecha saludos


decio carvalho - 01/02/2015
para Alexandre Nascimento : a esquerda subserviente não pensa...é autômata...Fazem igual com relação ao apoio à Comissão Nacional da Verdade e idolatram Cuba...


Amauri Spadari - 01/02/2015
A America latina toda está a mercê do imperialismo global. Os governos são fracos, pois a democracia é fraca e o imperialismo tem seus tentáculos infiltrados nos três poderes inviabilizando mudanças e projetos duradouros para o desenvolvimento das nações e de seu povo.

Apenas a titulo de ilustração: Quando o petróleo sobe la fora, é desculpa para subir aqui tambem, mas quando baixa lá fora, aqui sobe novamente, é assim tambem com o dólar e tudo mais. Fica claro que existem forças externas ditando as regras, inclusive nas cobranças abusivas de impostos e aumento abusivos nas tarifas publicas como é o caso da energia elétrica.

O povo teria o poder de auxiliar um governo corajoso e disposto a romper como o sistema, mas o povo está "anestesiado" "alienado""zumbi", "fora da realidade" "distraído com novelas, filmes, futebol,

PARCERIAS